quinta-feira, 3 de abril de 2008

Pedido

Por favor, não me peça para escrever poesia.
Minh´alma se enche de pudores, ruborizada com a impossibilidade de falar das estrias do meu coração.
Vá lá... até admito uma prosa com uma pitada de lirismo, mas ah!......
Não me peça para escrever poesia.
Minha rima se perde no mundo da métrica...e a vida, o viés da existência, fica desnuda e perdida nesta linguagem que é própria dos anjos.
Quem dera que pudesse escrever como Drummond, Pessoa, Cecília, Flora, ou mesmo Bandeira!
Mas, ah!...as musas que os inspiraram são de outro naipe, não atendem uma reles mortal, uma artesã da palavra.
Por isso, por favor, eu imploro, não me peça para escrever poesia!
Só saberia falar de mundo e “Raimundos”, sem encontrar nunca uma solução.

2 comentários:

inês disse...

Querida Carla, entrei no seu blog e li algumas crônicas, adorei, parabéns e continue assim.
Parabéns, Parabéns!!!
UM abraço,
Inês Pandeló

soumaisnoamar disse...

Gostei desse! :)