sexta-feira, 18 de abril de 2008

A Borboleta Invisível (Capítulo 2)

Se você pensa, contudo, que a história termina por aqui, está enganado. Esqueci de contar que naquela aldeia havia um menino, um moleque destes bem levados, que vivia de calça curta e joelho ralado, curioso por natureza, de olhar esperto e vivaz e cuja íris mais parecia um céu azul em dia ensolarado sem nenhuma nuvem.
Um garoto capaz de enxergar coisas a que os outros não dariam a mínima atenção. Um bichinho do mato que gostava de colecionar pedras pequenas, que colhia, escondido do pai, alface na horta e fruta no pomar para dar aos passarinhos, ou a qualquer criatura da natureza que sentisse fome de corpo e de atenção.
Mas o garoto não era santo não! Adorava subir em árvores, dar susto nas beatas que passavam pela calçada em direção à igreja e que o desconjuravam, rogando pragas do inferno, dizendo que sua alma queimaria lá em baixo, com o Belzebu, só porque ele teimava em jogar pererecas sempre no momento em que elas passavam. Uma grande injustiça com o pobre do garoto, essas beatas faziam. Afinal, até que se prove o contrário, só se é menino uma única vez. Era, pelo menos, o que o padre jurava em suas missas matinais de domingo! O garoto sempre desconfiou do pároco com suas mãos melecadas de gordura de frango assado, que comia duas vezes ao dia, mas como ninguém tinha se manifestado, não seria ele a fazê-lo. Afinal, era apenas um menino, e criança não tinha querer, tampouco podia dar pitaco em conversa de adulto. Se fizesse isso, sua mãe lhe puxaria as orelhas, e adeus sobremesa, durante uma semana inteirinha, inteirinha. Melhor ficar quieto.

Um comentário:

Ana Lygia disse...

Ê, Carla... tá ficando craque nos folhetins, hein? e eu, dependente do final dessas histórias!rs
Menina, e num é que eu me lembrei de uma criança que há muito... muuuuuuuuito tempo atrás, numa cidade perdida num Vale, pro desespero de suas parentas carolas, mandou o padre tomar no... pois é, lá mesmo!
Fico no aguardo, na expectativa de que esse menino e a borboleta tenham um belo final... Torço por eles.