segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Diário de Mel

É duro ter 15 anos. Odeio do fundo do meu coração a idade que tenho.
Agora fico eu aqui, igual a uma idiota, em pleno sábado, não podendo me encontrar com a Carol e a Duda, porque a babaca de minha mãe se lembrou de ser mãe e acha que pode mandar na minha vida!
Tô doida para completar 18 anos e poder sair deste inferno que é a minha casa. Este clima de ‘família Doriana’ é um saco! Papai e minha mãe só vivem para brigar. É uma batalha para decidir se o café deve levar adoçante ou açúcar, e eu ali, no meio, presenciando esta merda de família que se perde a cada dia mais.
Odeio isso.
Odeio minha mãe.
Odeio minha vida.
Merda!

2 comentários:

Anônimo disse...

OI Carlinha! Tudo bem? Já li seu texto e gostei. Sabe que nunca pensei na
> vida de um pires?? Demais!
> Deixei um comentário no do elevador, dos idosos que tb gostei muito.
>
> beijo grande,
> Marcia

Celso disse...

Oi, é o Celso do grupo de roteiros. Muito bom, esse. Adolescência! Ah, época da vida em que o mundo parece rodar ao centro de nosso umbigo e absolutamente nada fora desse eixo tem importância... Parabéns.