quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sexy fone - perfil de personagem

Maria Izilda Barbosa = é uma mulher branca, 55 anos, virgem, moradora de Nilópolis, Baixada Fluminense, onde reside na companhia do pai, que tem sérios problemas de saúde devido ao estado avançado da diabetes. É filha única. Izildinha, como é chamada pelos conhecidos, é representante de produtos de cosméticos, mas sua maior fonte de renda é trabalhando num sexy fone, para onde solitários ligam querendo ouvir as fantasias sexuais de que ela fala.

Izildinha é bem magra, baixa, cabelo pintado de vermelho intenso e tem uma voz que aparenta muito menos idade do que ela tem. A voz parece ser de uma jovem de vinte anos. Seu horário de trabalho é das 22h às 6h, no Centro da Cidade. Ninguém sabe que ela ganha seu dinheiro no sexy fone Garganta Profunda; ela diz que trabalha como camareira no Copacabana Palace.

Seu nome de guerra é Priscila Tanajura.

Seu Isauro Barbosa = é um torcedor fanático pelo América e tem ódio mortal do Botafogo. Carrega uma grande frustração na vida: não ter sido aceito no Exército. Tem alma de general: mandão, orgulhoso e dono da verdade. Trata a filha de maneira muito rígida e nunca aceitou que ela arrumasse namorado. É viúvo e tem 72 anos. Foi obrigado a se casar com a mãe de Izildinha, ela estava grávida; ele tinha 17 e ela 15anos. Como era arrimo de família, o Exército não o aceitou.

Tem sérios problemas de saúde devido ao avanço da diabetes. Está quase cego, mas não admite isso, tampouco deixa de comer doces. Faz isso escondido. Tem um garoto que todo dia compra para ele, num botequim, pé de moleque, paçoca, doce de abóbora e canudinho. Come escondido da filha. Já perdeu dois dedos da mão e corre o risco de perder o pé por inteiro.

Pedreira = José Pedreira, conhecido pelo sobrenome, é o gerente do sexy fone. O dono do estabelecimento é um político famoso, que não aparece. Pedreira é seu laranja.

Baixo, mulato, bem acima do peso, tem 53 anos e usa no dedo mindinho um anel com rubi falsificado. Sua nas mãos e com toda funcionária mais jeitosinha ele quer fazer o teste do sofá. Humilha Izildinha, mas, às vezes, ouve-a falando ao telefone e se excita no escritório, masturbando-se diante da foto da Luana Piovani.


Ele mora no prédio onde está localizado o sexy fone, um sobrado decadente na Rua Mem de Sá.

Regina da Silva = é a única amiga de Izildinha. Trabalha também no sexy fone. É negra, está acima do peso, tem 64 anos, seios fartos, bunda grande e foi dançarina de boate na década de 70. Tem voz rouca e sexy. Trabalha para sustentar os três netos menores, já que a mãe (sua filha) é viciada em crack. Foi casada quatro vezes. Mora em Madureira e é viúva. Enterrou os quatro maridos. Teve só uma filha.
Seu nome é Talytta Popozuda.

Um comentário:

Toninhobira disse...

Que bela criatividade Carla, um belo olhar sobre o cotidiano. Engraçado como funcionam estas coisas, o desconhecido que emociona e causa prazer justamente pela falta da real visão,como se a vida fosse mesmo esta ilusão.
Um carinhoso abraço amiga.