segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A palavra

A palavra é a minha ferramenta. Assim como pode ser minha libertação, transforma-se, em questão de segundo, em prisão. Depende de mim, depende de minhas emoções encontrar a palavra certa para descrever os sentimentos. Encontrar as vogais, juntá-las às consoantes, formar frases, diálogos... descobrir no hiato a união da emoção no verbo presente.

Penso; às vezes, não sei se existo. Mas aí engulo o ar, e vejo que respiro. Faço parte do Planeta Terra. Doce consolo...

Viver não é fácil. Às vezes me calo, outras vezes preciso de todos, me exponho... me faço presente nas vidas. Dói me expor, dilacera me fazer presente, às vezes.

Guardar o sentimento é mais fácil, mas a emoção acumulada se transforma em bomba que explode no peito depois de um tempo. Aí é emoção por toda parte, indo para o céu azul como confete em carnaval. Pedacinhos coloridos, ora rosa, ora verde, preto, cinza, vermelho... desmistificando a existência. A vida real, não a imaginária.

Me encontro na palavra, às vezes me perco... mas aí engulo o ar, e vejo que respiro. Que ainda vivo. A esperança pode ainda brotar no coração.

A força da palavra é que me move. Às vezes ela pesa, outras vezes é tão leve como uma bruma que o vento leva. Levanto, sigo em frente carregando-a, ora nas costas, ora no peito, no coração. Ela, a palavra, se move em minh’alma. Passeia por meu corpo, massageia meu espírito, conhece a geografia das minhas emoções. Conectada me insere, me liga à realidade e à fantasia. Dois mundos reais no meu ser.

Penso, acho que existo. Aí engulo o ar, e respiro a palavra.

5 comentários:

Cacá disse...

Eu, literalmente me casei com ela. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. E esse casamento eu posso afirmar com toda a certeza que será até que a morte nos separe. rsrs.

Adorei, Carla! Abraços. Paz e bem.

Sheilla Liz disse...

Oi Carla! Vim seguindo você do recanto depois de um comentário seu em meu texto. Você escreve muito bem! Gostaria de convidá-la a conhecer meu blog de literatura e artes: Sheillaliz.blogspot.com. Um super abraço!

VIVER COM ARTE disse...

Ah Carla, como é complicado se expor... e como é bom partilhar gostos: a palavra é apaixonante! Um ópio, um mistério. Não sei se sou feita delas, ou se são elas quem me possuem. Bjinho Elaine

Gato Vadio disse...

Essência de toda nossa evolução, bípedes implumes pensantes que somos, só para citar os helenos! Um abraço do Jorge, felicidades!

Maria Letra disse...

Através da palavra, vamos ao encontro de nós próprios e dos outros. Ora o fazemos na busca duma parte do nosso EU, que está por identificar, ora o fazemos para nos libertamos de algo de que esse mesmo EU não consegue libertar-se. É o sucesso que a compreensão dessa busca possa ter, por parte dos outros, que irá ajudar-nos no objetivo desejado. Esta é uma das minhas várias formas de ver a palavra, que considero ser o "by pass" da nossa alma.
Um abraço.